Revisión

Como funciona o nucleus accumbens?

E. Fernández-Espejo DOI: https://doi.org/10.33588/rn.3009.99617 OPEN ACCESS
Volumen 30 | Número 09 | Nº de lecturas del artículo 36.918 | Nº de descargas del PDF 1.495 | Fecha de publicación del artículo 01/05/2000
Icono-PDF-OFF Descarga PDF Castellano Citación Buscar en PubMed
Compartir en: Facebook Twitter
Ir a otro artículo del número
RESUMEN Artículo en español English version
Introdução. O nucleus accumbens é considerado uma interfase neural entre a motivação e acção motora, e participa de modo decisivo na alimentação, conduta sexual, resposta ao stress, autoadministração de drogas, etc. Desenvolvimento. O nucleus accumbens apresenta dois territórios, o núcleo e a cobertura, cujas conexões desenham nitidamente as suas vertentes motora e límbica. A cobertura do nucleus accumbens parece actuar como um ‘detector de coincidência’, capaz de se activar em situações de conduta com valor adaptativo graças às conexões que estabelece com o córtex pré-frontal, o hipocampo e a amígdala. A activação da cobertura reforça sequências motoras ‘dirigidas a um fim’ quer no núcleo, quer no córtex pré-frontal, áreas que se encontram por sua vez integradas nos sistemas motores extrapiramidal e piramidal. A dopamina segregada no nucleus accumbens actua nos referidos processos como um ‘neuro-estabilizador’. Conclusão. O nucleus accumbens consta de um ‘detector electrofisiológico de coincidência’, ou cobertura, em conjunto com um ‘sequenciador motor’, ou núcleo, que fundamentam o papel do referido núcleo como interfase límbico-motora. Palabras claveAcçãoInterface límbico-motoraMotivação
TEXTO COMPLETO (solo disponible en lengua castellana / Only available in Spanish)