Revisión

Avaliação neurofisiológica de crianças com neuropatias periféricas

O. Papazian, I. Alfonso, V.F. García [REV NEUROL 2002;35:254-268] PMID: 12235588 DOI: https://doi.org/10.33588/rn.3503.2002240 OPEN ACCESS
Volumen 35 | Número 03 | Nº de lecturas del artículo 7.233 | Nº de descargas del PDF 1.398 | Fecha de publicación del artículo 01/08/2002
Icono-PDF-OFF Descarga PDF Castellano Citación Buscar en PubMed
Compartir en: Facebook Twitter
Ir a otro artículo del número
RESUMEN Artículo en español English version
Objectivo. O propósito desta revisão é demonstrar o valor e as limitações da avaliação neurofisiológica (ANF) no estudo de doentes com neuropatias periféricas. Desenvolvimento. A ANF possui uma elevada sensibilidade diagnóstica, contudo carece de especificidade etiológica. Inclui a determinação da velocidade de condução (VCN) dos nervos motores e sensitivos, a electromiografia (EMG) com agulhas, os potenciais evocados somatossensoriais (PESS) e os potenciais evocados motores (PEM). A VCN permite determinar o tipo de lesão (axónica ou desmielinizante), o tipo de fibra nervosa envolvida (motora ou sensitiva) e a extensão (proximal ou distal) e o padrão da alteração no nervo (segmentar ou contínua). O EMG permite determinr a presença e o grau de desnervação e reinervação. Conclusão. A VCN, a EMG, os PESS e os PEM permitem: 1. Localizar a lesão (segmentos pré- e pós-ganglionar da raiz dorsal, raiz ventral, plexos e nervos periféricos); 2. Estabelecer a gravidade e o prognóstico; 3. Seleccionar os candidatos para cirurgia exploradora reconstrutiva; e 4. Determinar a eficácia do tratamento e o curso natural do processo. Palabras claveAvaliação neurofisiológicaNeuropatias periféricas em criançasPotenciais evocados somatossensoriaisVelocidade de condução dos nervos periféricos CategoriasNervios periféricos, unión neuromuscular y músculoNeuropediatríaTécnicas exploratorias
TEXTO COMPLETO (solo disponible en lengua castellana / Only available in Spanish)