Revisión

Risco, causa e doença no ambiente de trabalho. Factores de risco neurológico

J. Maqueda-Blasco [REV NEUROL 2000;31:856-860] PMID: 12497331 DOI: https://doi.org/10.33588/rn.3109.99507 OPEN ACCESS
Volumen 31 | Número 09 | Nº de lecturas del artículo 10.387 | Nº de descargas del PDF 344 | Fecha de publicación del artículo 01/11/2000
Icono-PDF-OFF Descarga PDF Castellano Citación Buscar en PubMed
Compartir en: Facebook Twitter
Ir a otro artículo del número
RESUMEN Artículo en español English version
Objectivo. Neste artigo estudam-se os critérios epidemiológicos e de investigação etiológica que devem se considerar ao analisar e investigar os problemas de saúde derivados da exposição a factores de risco no local de trabalho, focando especialmente o dano neurológico, tanto por contaminantes químicos e físicos, como pelas exigências ergonómicas da tarefa. Desenvolvimento. Define-se o papel que desempenham os factores de risco de origem laboral na causa da doença tanto profissional como relacionada com o trabalho, e analisam-se os diferentes modelos preventivos que têm sucedido na história da prevenção de riscos profissionais, prestando grande atenção, especialmente, ao chamado modelo sócio-técnico, sob o qual a doença é interpretada como uma disfunção na relação homem/trabalho. Os factores de risco neurológicos analisam-se separadamente, incidindo-se assim nos agentes químicos de natureza distinta, com capacidade neurotóxica, nos agentes físicos e ergonómicos (estes últimos como factores cuja presença no mundo do trabalho pode catalogar-se de pandemia), estabelecendo-se relações com os principais quadros clínicos e funcionais do sistema nervoso central, periférico e muscular. Palabras claveDoenças profissionaisFactores de risco laboralNeurologiaTeoria da causalidadeTrabalho
TEXTO COMPLETO (solo disponible en lengua castellana / Only available in Spanish)